Buenos Aires – “E-mail” de Bordo

Esta foi a minha primeira “grande” viagem e a minha primeira experiência internacional. Passei dez dias em Buenos Aires e apesar do tempo mais que suficiente, saí de lá sem conhecer muita coisa. É um lugar que, com certeza, terei que voltar.

Antes que se assustem com o linguajar, deixem-me explicar a origem deste texto: ele é um e-mail que enviei a um amigo em 2009, que pedia dicas de Buenos Aires. Anos mais tarde encontrei-o sem querer e quando surgiu a ideia de fazer o blog, ele acabou virando o post inaugural. Fiz apenas algumas adaptações, tirei os palavrões e as piadinhas internas e, enquanto não volto lá para atualizar, ele assume interinamente 🙂

Casa Rosada - Buenos Aires

Casa Rosada – Buenos Aires [Foto: CVC]

O centro de Buenos Aires é o que aparece no mapa sob o nome de Montserrat (ou algo parecido com isso). É no centro que está a Plaza de Mayo (onde fica a Casa Rosa), o Obelisco, a rua Florida e a Av. 9 de Julio (o Obelisco fica bem no meio dessa avenida). Essa é a avenida mais larga de sei lá o que (da América Latina?).
No centro tem várias coisas que eu não vou lembrar, a rua Florida é enorme e é nela que fica a tal Galeria Pacifico, nada mais é que uma espécie de shopping com lojas caras. É legal pela arquitetura. Chegue lá dentro e olhe pra cima, é lindíssimo.

Bem ao lado do centro fica Puerto Madero, cheio de pubs e restaurantes e a tal Ponte de la Mujer. Atravessando a ponte tem o buque bus, que é a barca que vc pega pra ir pra Montevidéu ou Colônia del Sacramento – Vá aos dois.
Você pode pegar a barca pra Montevidéu e lá pegar ônibus pra Colônia (ou o contrario).
Pra chegar tanto ao centro quanto a Puerto Madero, metro linha D – estação Catedral, que é a última estação da linha.

O zoológico, o jardim botânico e o jardim japonês ficam em Palermo. Tem os bosques de Palermo também que são ótimos, tem a tal rosa de ferro e blablablá. Pegue o metrô linha D e desça na estação Plaza Italia. Lá vc se vira porque eu não lembro pra que lado fica, mas é perto.
O jardim japonês fica entre as ruas Casares (ou cesares?) e Figueroa Alcorta (ou algo bem parecido com isso)
Ah! em Palermo tem um planetário também, mas quando eu fui estava fechado por causa da crise energética. Fica na Sarmiento.

Na Recoleta eu passei de ônibus, então vou falar o que eu vi lá de dentro. Tem a faculdade de direito da Universidad de Buenos Aires, é imponente, bonitona, mas acho que não é aberta a visitação. Mas se estiver em aulas, tente a sorte, eu fui em período de férias.
Tem também o tal cemitério que os túmulos são enormes, tem várias personalidades argentinas enterradas lá, tipo a Eva Perón (provavelmente a única que a gente conhece). Alguns são maiores que a minha casa.

Parque de La Costa – o parque fica em Tigre. Isso é fora de Buenos Aires já, o trem passava perto de onde eu estava hospedada (Belgrano), então não sei como faz pra chegar lá, mas acho que tem metrô integração. Você vai pegar o trem e saltar na ultima estação – estação La Costa. Lá é um lugar muito bonitinho, dê umas voltinhas por lá. O parque abre às 11h, mas fica uma fila enorme, então chegue cedo, porque ele é grande e tem muita coisa. Não compre o bilhete promocional, compre o mais caro de todos, o outro não dá direito aos melhores brinquedos. Com esse caro vc pode voltar até 3 meses depois (e nem é caro, quando eu fui era 45 pesos). Só funciona sextas e sábados.
Em La Costa também tem um cassino que eu não entrei.

Do outro lado do rio tem um lugar chamado Lujan (em tigre). Eu não cheguei a atravessar porque não sabia das coisas, mas depois que cheguei ao Brasil descobri que em Lujan tem o tal zoológico que vc pode entrar nas jaulas (inclusive do leão :O), mas dizem que é caro, tipo uns 100 pesos (não sei se é verdade).

Entre tigre e lujan tem um passeio de barca pelo rio, não achei interessante, não recomendo perder seu tempo/dinheiro com isso.

La Boca fica longe pra car*** e eu não lembro como chega. Peguei 2 ônibus, metrô e trem. Tudo até a ultima estação, então não me pergunte. Lá tem o estádio do Boca, o Caminito eeeeee… não me lembro mais o que (não deve ser importante).

Em San Telmo eu só fui na tal feira de domingo de manha e não curti.

Fora esses detalhes, em algum lugar lá tem um shopping chamado Unicenter, que é o maior de sei lá o que. E tem o Abasto Shopping que me lembrou o shopping São Gonçalo. Não lembro o bairro de nenhum dos dois, só sei que no Unicenter tinha muita gente “bem apessoada”, se é que você me entende 😉

Não recomendo o estádio do River, não tem nada de demais e estava com cheiro de coco de cavalo.

Algumas dicas:

  • Não troque seu dinheiro em casa de câmbio, tem um La Nación já no aeroporto. Se você estiver levando reais, este é o único La Nación que aceita, os demais pela cidade só aceitam dólares;
  • Peça pra te darem logo uns 50 pesos em monedas. Ônibus lá só aceita moeda e é F*DA de arrumar, ninguém troca. Moeda lá é ouro. Passei altos perrengues por isso;
  • Não se dê ao trabalho de pedir uma parrillada. Não sei se tive azar onde experimentei, mas era um monte de vísceras quase cruas e sem tempero (a não ser que você seja um monstro canibal);
  • Experimente o bife de chorizo e as empanadas. Pronto, já conhece a cozinha típica da argentina;
  • No trem PAGUE A PASSAGEM e guarde o comprovante. De vez em quando passa um fiscal e pede pra ver, se vc não estiver com o papel, ele te bota pra correr.
  • O metrô para de rodar às 23h;
  • As ruas de lá são enoooormes, algumas cruzam Buenos Aires inteira, então não se iluda ao ver duas coisas que ficam numa mesma rua e achar que fica perto.
Anúncios

Comentários

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s